quinta-feira, 21 de junho de 2012

Manifestação da PREVIC sobre o Banco Cruzeiro do Sul





* Artigo de Ronaldo Tedesco Vilardo, Conselheiro Eleito da PETROS








A PREVIC manifestou sua posição sobre a intervenção do Banco Central no Banco Cruzeiro do Sul. A Petros ainda não respondeu aos pedidos de esclarecimento dos Conselheiros Eleitos.
Segue abaixo o posicionamento da PREVIC sobre o caso.




Prejuízo de fundações será limitado, diz Previc
A exposição dos fundos de pensão ao banco Cruzeiro do Sul era compatível com os limites das instituições, segundo o diretor da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), Edevaldo Fernandes.
Mais de 60% dos ativos do Cruzeiro do Sul mantidos pelas fundações contam com garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), de acordo com Fernandes, que participou ontem de evento sobre gestão de valores mobiliários promovido pela Cetip e Clearstream.
O diretor da Previc admitiu, porém, a possibilidade de algum "desconforto" com os fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC) do Cruzeiro nos quais as fundações aplicaram. "O papel das instituições responsáveis pela guarda desses ativos será importante", afirmou.
Em um cenário de queda da taxa básica de juros, os fundos de pensão têm ampliado a participação de títulos de crédito nas carteiras, segundo Fernandes. A alocação, no entanto, ainda é concentrada em papéis de instituições financeiras, responsáveis por 60% do total alocado em papéis privados, de acordo com dados da Previc.
No total, os fundos de pensão contam com R$ 619 bilhões em ativos.  (Valor Online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário