quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Conheça os candidatos indicados pelo CDPP às Eleições PETROS 2011

Eleições PETROS 2011 nos dias 16 a 29 de Setembro

Caros participantes,
A Direção da PETROS acabou com o VOTO POR CORRESPONDÊNCIA para facilitar a vida dos seus candidatos. Mas nós vamos juntos mostrar que A PETROS É NOSSA!
Estamos apresentando as candidaturas de companheiros comprometidos com a defesa dos interesses dos participantes e sem nenhum tipo de compromisso com qualquer Governo, patrocinadora ou partido político. Nosso desafio é garantir a unidade dos participantes da PETROS em defesa dos seus interesses. Ativos e assistidos, repactuados ou não: A PETROS É NOSSA!
Comitê em Defesa dos Participantes da PETROS - CDPP

Chapa de Assistidos ao Conselho Deliberativo

Brandão

Paulo Teixeira Brandão, petroleiro, aposentado, admitido em 1961 na REDUC e em 1972 na Petrobrás Distribuidora. Bacharel em Direito. Autor do livro Em Defesa dos Fundos de Pensão. Na Petros  foi Diretor, Presidente do Conselho Fiscal e atualmente Conselheiro Deliberativo Eleito.

Siqueira

Fernando Siqueira, engenheiro, aposentou-se em 1995. Presidente da AEPET em seu quinto mandato. É o atual presidente do Conselho Fiscal da PETROS e vice-presidente do Clube de Engenharia. Foi Conselheiro Deliberativo eleito. Defende o Plano PETROS do Sistema PETROBRÁS para TODOS.

Chapa de Ativos ao Conselho Deliberativo

Clarckson

Clarckson Messias, sergipano, 54 anos, formado em Ciências Contábeis. Está na Petrobrás desde 1978. Trabalha como Técnico de Contabilidade. É dirigente sindical da Federação Nacional dos Petroleiros - FNP para unir novos e antigos, ativos e aposentados. A PETROS É NOSSA!

Marcos André

Marcos André, 37 anos, participante do Plano PETROS 2, com cinco anos de Petrobrás, é Técnico de Suprimento. Formado em Ciências Contábeis na Federal da Bahia. É acadêmico de Direito. Diretor do SRQP/Bahia luta contra o sindicalismo pelego praticado pelos atuais dirigentes da FUP.

Chapa de Assistidos ao Conselho Fiscal

Epaminondas

Epaminondas de Souza Mendes, trabalha na Petrobras desde 1957. Fundador da Petros. Desde 1989 é dirigente da ASTAPE/BA; Técnico de Máquinas e Motores. É graduado em Teologia. Tem sido suplente de Yvan Barretto como Conselheiro Deliberativo Eleito da PETROS nos últimos 8 anos.


Emidio


Emidio Rebelo Filho, bacharel em Direito, Técnico em Contabilidade, graduado em Administração e Relações Humanas. Entrou na Petrobras em 1956, foi chefe do Setor de Pessoal, da Divisão Administrativa e da Divisão de Relações Industriais da RENOR. Fundador da PETROS, inscrição 005.

Programa das Chapas do CDPP

Trabalhar pelo aperfeiçoamento dos planos de benefícios sem prejudicar direitos coletivos. Manutenção irrestrita dos direitos adquiridos dos ativos e assistidos. Fiscalizar a gestão dos patrimônios individuais e dos coletivos e solidários, visando o cumprimento dos compromissos assumidos com os participantes. Lutar para manter o caráter previdenciário da PETROS. Defesa intransigente dos direitos dos participantes dos planos em retirada de patrocínio. Defesa dos direitos de todos os participantes (repactuantes ou não) do Plano PETROS do Sistema Petrobrás e do Plano PETROS 2. A PETROS É NOSSA!

Comitê em Defesa dos Participantes da PETROS - CDPP

2 comentários:

  1. Eu já critiquei muito a postura dos representantes eleitos por nós os assistidos e mantenedores da Petros por motivos vários. Entendo que votar nos representantes indicados pela CDPP é a opção mais viável no momento crucial que vivemos agora. Do outro lado da trincheira, estão os inimigos e traidores da FUP/CUT/PT/Petrobrás/Petros. Sempre tenho dito que são todos farinha do mesmo saco. Inclusive neste saco, coloco também os sindicalistas da FNP, que não são muito diferentes dos da FUP.
    Eu até cheguei a citar exemplos de irresponsabilidade política e desrespeito à base quando da eleição de um Sindipetro (que no momento não me lembro qual) a FNP entrou dividida para as eleições apoiando "duas" chapas concorrendo com apenas uma da FUP (que é muito mais inteligente em seus propósitos, pois não se divide pela ganância de seus aliados) e acabou a Fup vencendo esta eleição com menos de 40% dos votos totais. Então eu posso imaginar a cara dos desagregadores irresponsáveis da FNP que entregaram de bandeja ao nosso maior inimigo, mais um Sindipetro! Esses caras deveriam ser banidos do movimento sindical petroleiro junto com a corja da CUT/FUP. Se a FUP teve menos de 40% dos votos, a FNP obteve no mínimo, 60% dos votos válidos, no entanto pela ganancia ao poder de seus membros perdeu uma eleição que já estava ganha! E com essa prática eu não posso concordar! Afinal nessa tal de FNP tem muitos inimigos travestidos de amigos, como citado no exemplo acima! Aliás, com um amigo desses, não preciso nem de inimigos! Todavia, depois de muito raciocinar vou fazer um esforço tremendo e votar nesta chapa apopada pela FNP/CDPP. Entre os ruins, escolherei o menos pior! A que ponto chegamos? Quem diria que um dia chegaríamos a isso? De um lado sindicalistas traidores, covardes e inescrupulosos, e de outro lado um grupo de incompetentes que não se entende pela própria ganância de seus pares. Dificil a vida de um aposentado que um dia trabalhou nesta maldita empresa conhecida como Petrobrás!

    ResponderExcluir
  2. A título de esclarecimento.
    Na matéria acima cito um Sindicato em que a "FNP" entrou dividida para as eleições sindicais. Apoiou duas chapas, para concorrer com apenas uma chapa apoiada pela FUP/CUT. E a CUT/FUP, evidentemente levou aquele Sindipetro e esta dando risada da inocência e ignorância dos que provocaram o racha que só beneficiou a CUT/FUP a Petrobrás e a Petros! No momento em que escreví o texto não me lembrei qual seria este Sindipetro, e fui buscar informações para corrigir o meu texto e quero esclarecer através desta nota que o Sindicato citado no texto acima, de minha autoria, é o Sindipetro do Rio Grande do Sul. E o pior é que descobri que talvez o ocorrido aconteça novamente. A FNP talves entre dividida também nas eleições do Sindipetro Litoral Paulista! Se isto ocorrer outra vez, será o cúmulo da incompetência da ignorância e arrisco dizer, até mesmo da falta de carater desse pessoal sindicalista que esta provocando esses rachas que somente ajuda e fortalece a FUP/CUT/Petrobras/Petros! É desanimadora a situação! Difícil acreditar que um dia eu viveria todas essas emoções e traições que estou vendo agora no movimento sindical petroleiro! Estes homens que dirigem ou fazem parte do movimento sindical petroleiro estão a defender interesses próprios e não os interesses coletivos da categoria petroleira. Não dá mais para aceitar esse tipo de gente dirigindo o movimento sindical petroleiro! Durma com um barulho desses! Se correr o bicho pega e ficar o bicho come!

    ResponderExcluir